Seguidores

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Um e-mail pra você!

AndersonTomio
E-mail  que enviei hoje para uma pessoa especial

_________


Oi... QUERO DIVIDIR MINHA ALEGRIA COM VOCÊ AGORA.

Dizer que você tem me dado um chão que não tinha,
que já faço algumas coisas pensando em você,
em dividir com você, compartilhar os meus momentos,
e dando um pouco do meu melhor.

Deixo de lado as coisas ruins,
delas falamos somente para desabafar,
não vale a pena cultivá-las,
mas vale relembrar como aprendizado.

A vida é para isso mesmo!
Estamos aqui para aprender,
  para hora cairmos, mas sempre levantarmos,
olhar o horizonte,
ver o sol, ver o futuro,
e sempre seguir adiante.

Já parou pra pensar o que de bom já
temos pra contar nesse tempo?
O nosso livro de vida,
está em constante grafia,
em constante registro
de imagens, de vivências,
e fico feliz,
por saber que tem algumas páginas
onde você já está se fazendo presente.

Algumas citações boas que fizemos,
outras nem tanto, mas reflexivas.
Faz parte!
Uma historia sem suspense,
sem alguns rompantes de adrenalina,
não é uma boa história.

Fica chata e deixamos de lado,
o livro empoeira e perde a graça.

A vida, o livro, não é assim,
não pode ser assim,
se não mesmo no prefácio,
já seremos curiosos o bastante,
ou mesmo teimosos para
pular tudo e buscar fim.

Sem graça não é mesmo?
 Logo de cara se sabe o final,
nada foi vivido,
nem tristeza, nem alegria,
não houve emoção e nem surpresa,
e o livro acaba.

Sem graça total.
Mas hoje vejo que já tenho
muita coisa escrita,
o prefácio, e um capitulo em construção,
mas que capitulo heim!
Já teve suspense logo nas primeiras linhas,
em saber o que seria o amanhã,
e momentos de puro êxtase,
de alegria e leveza,
outros de choro e melancolia.
Está sendo uma bela história!

Estamos fazendo terapia em dupla
eu sou teu terapeuta,
e você a minha.
Eu sou seu "médico”,
e você a minha.
Já fizemos vários papéis,
de desbravadores,
de amigos, de amantes,
de enamorados,
merecemos um ÓSCAR!

Aprendemos e se ainda não sabemos,
estamos aprendendo, a viver.
Somos crianças descobrindo o mundo,
carregando nossos brinquedos,
todos de uma só vez,
infelizmente algumas coisas
não temos força suficiente para carregar,
mas que bom que existe mais pessoas
nesse imenso "Play" que é a vida.
Encontramos, amigos que podem  nos
ajudar carregar o que já escorregava por entre os dedos,
e a diversão se completa.
Olhar o outro, silenciar
sorrir e entender tudo que se passa,
sentir no rosto a brisa ,
e no momento de alegria e gratidão
nos percebemos ao sabor do vento
que estamos vivos,
que somos queridos
que somos pessoas com valor,
que fazem a diferença
na "brincadeira" do outro,
tornando a vida mais interessante,
mais atrativa e feliz.


Na sinopse dessa história,
um obrigado,
porque tenho aprendido muito com você!

Admiro suas lutas, me identifico com várias delas,
e a sua força que serve de exemplo pra mim.
As metas, rumos traçados e já muitos
deles alcançados.
Obrigado por fazer parte do meu livro,
obrigado por fazer parte da minha história,
e de nela estar dando doses de
muita vontade de superar tudo que há
de ser superado.
Pode não parecer, mesmo que você não perceba,
mas já se deu conta da força que tem?
dos exemplos que está passando?

Pois bem, eu já me dei conta sim,
 e se  não o tivesse feito,
de nada valeria todas essas palavras.

É com carinho que as escrevo
Beijo no coração!
_____________________________
escrita em 30/11/2010 - 12:03
E-mail real, que enviei hoje a uma pessoa especial
imagem:pixmac.com.br

domingo, 28 de novembro de 2010

Ditado Vencido

Anderson Tomio
Ditado vencido!
O tempo é remédio!
Remédio pra que?
A ausência causa dor,
e em senti-la no peito,
aperta, sufoca, da um torpor,
parece inebriar,
e não há remédio que cure,
ou haverá de curar.
O tempo é remédio!
Remédio pra que?
A fome que aperta,
passa tempo e mata,
dói, dá vertigem,
náusea e no ápice dor
e não há remédio que cure
ou haverá de curar.
O tempo é remédio!
Remédio pra que?
De ausência, ou de fome,
de remédio em remédio
o tempo não cura, não sara
o que a ausência, passa a regresso,
o que a fome, passa a fartura
e agora o que o tempo, cura
o tempo é remédio
remédio pra que?
Sim é o remédio, o xarope de espera.
_____________________
Escrita em 26/07/2002
Foto: http://galileu.globo.com/edic/104/saude1.htm

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Pelo jardim…

 Anderson Tomio

joaninha 

O orvalho caia ao amanhecer,

era uma úmida manhã de inverno,

as folhas encolhidas, queimadas de frio,

reservavam forças para viver;

e você nem se quer se deu conta,

que o orvalho lhe eram lágrimas,

que o frio queria congelar o tempo,

e só você era importante.

Veio a brisa, de leve soprou teu rosto,

ousou dar uma mexida em teus cabelos,

mas as gotas de orvalho agora,

escorriam caule  abaixo,

ou pingavam no gramado pelo balançar dos galhos,

mas nem o choro das plantas você  viu,

e na sutileza de ser coadjuvante perto de você,

a natureza seguia, e o orvalho molhou a terra,

fazendo uma nova semente germinar.

Por entre a névoa foi aparecendo o sol,

com sua poderosa luz abrindo espaço no horizonte,

aqueceu o broto, “chocou” a semente,

e a vida surgiu, num tímido ramo.

Surgiu um arco íris, vivo, real,

de cores tão intensas,

o arco completo, inicio e fim,

onde poderíamos fazer da fantasia à realidade.

Lá no fim, onde ele beijava o chão.

houve a magia, o orvalho secara,

a relva o tinha bebido, néctar da vida,

as flores se abriram e exalavam o perfume,

o sol mostrava-se mais alto, radiante sobre tudo,

e o horizonte amarelou, reluzia ouro,

durante o dia e bronze ao entardecer.

E você sutil toque deu a flor,

ficando so  com o  perfume em suas mãos,

os pés, ainda pisavam na relva que guardara algumas gotas do orvalho

a molhar- te o dorso e o calcanhar.

Sensação fria, choque de vida, despertar!

A natureza te convidou à comtemplá-la,

a dar-se conta que estava ali, sua,

desde que você também fizesse parte dela,

a comtemplasse e vivesse como perfume,

que exala pelo ar, mas que fica em locais,

impreguinam nas mãos do amado florista.

O teu toque na flor,

cocegas no dedo e um leve arrepio no braço,

a pequena joaninha  queria te conhecer,

como cego tateou tua pele,

sentiu você e depois voou pousando no hibisco.

Levou consigo o teu  perfume

trocou contigo a energia da vida,

e  a dispersou pelo jardim.

Tanta singeleza no descobrir o jardim,

no ser parte dele,

e se torna-se flor, torna-se folha,

e deixar no ar tua essência,

de amor à natureza,

transformando a tua lágrima em orvalho,

o teu sorriso em sol,

e a vida num espetáculo.

________________________________

escrita em 22/11/2010- 19:50 h

Imagem: gostodistonew.blogspot.com

Arcanjo Miguel

Esta música em Homenagem ao Arcanjo Miguel que tem me auxiliado e muito sempre que precisei. A letra além de  bela é também uma oração que vale a pena ser ouvida e refletida buscando  a  melhora e a evolução espiritual.

OBRIGADO ARCANJO MIGUEL POR SUA INTERCESSÃO!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Palavras….boas palavras.

Anderson Tomio

 

Palavras apenas palavras

ditas no som, ecoadas no tempo,

ouvidas no espaço, palavras.

De saudação, amistosas palavras, mensagem-romantica-de-carinho-por-que-palavras

de grado bom e acalanto,

palavras que sorriem.

De amor, doces palavras,

de maciez no som, leves,

plumas e palavras.

De saudade, distantes palavras,

falhas, mas carregadas de sentimento,

recordas palavras.

De esperança, há de vir as palavras,

espera-las com ouvido atento,

imagina-las já sendo ouvidas,

almejar palavras.

De vida, desenhadas no olhar,

sentidas na pele,

vibradas na alma,

decodificadas no coração.

Vividas palavras!

________________________

escrita em 17/11/2010 – 21: 40

Vida! saldos e partidas


Anderson Tomio

Matéria vida serena num sopro
Habita em raso vaso de corpo
Exalta a glória valida
Sugere uma luta vencida
No dia que há de findar.
Batalhas, travadas e silêncio
no brado do pensamento,
exaustas facas ao vento
de um dia que há de chegar.
No braço, as marcas,
feridas da vida, retratos
do tempo passado,
mistérios do tempo corrido,
da vida que há de viver.
Mistérios da mente que assolam,
no pensar de ver e o sentir,
na vida que se ama e se quer,
de um tempo que se espera chegar.
Vitórias que são conquistadas,
alegrias em largo sorriso,
no choro do outro o fracasso,
em teu riso o ego a vencer.
Matéria em seus atos,
mistérios,
de batalhas e feridas
de vida, traduzem resumem
e contam o que teu olhar
revela a me ver.
Tempo, a trajetória de um lutador,
Somos eu você e ele,
Na glória de ver o sol,
A nuvem e o escurecer.
Vento, sopro divino,
Repentino, breve
Mas que aquece as correntes da alma
Na vida que se quer ter.
______________________
escrita em 17/11/2010 - 12:40 h
Imagem:http: //vilamulher.terra.com.br/

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Vida e Morte – A Viagem

Anderson Tomio

 

O tempo

estampado nas horas, descrito nos textos,

o tempo

que acaba sendo o senhor do dia,

que não dorme com a senhora noite.

O tempo estampado em retratos amarelados,

ditos em frases, em músicas fora de moda,

o tempo.....

e nele me vejo perdido no tempo,

caminhante do espaço, filhos das horas,

inimigo dos contratempos.

Um retrato me denuncia

entrega e revela que já faz muito,

muito tempo,

que habito o mundo.

Sou mais um criador de jornadas,

lunáticas, de espaço e de tempo.

Vagueia-se, perde-se,

fujo e me desprendo de tudo,

esqueço do tempo.

Procuro por mim, não me vejo,

não me encontro.....

Do alto viajo ao encontro de mim,

me acho caído, com frio e com dor

não reconheço o local, nem mesmo as pessoas.

Hospital? Clinica?

Algo tem mudado pela cidade, não identifico onde é

sinto cansaço, sono, me entrego, durmo.

Acordo num quarto coletivo, imagino ser pela quantidade de gente

ao meu redor.

Muito branco , muita luz,

um cheiro de mel perdido no ar.

Lanço olhares à janela e vejo o gramado coberto de flores.

Pessoas caminham, sem pressa, sem tempo para controlar,

tão calmo.....me acalmo adormeço.

Me sinto pesado, ainda tonto.

Devo ter tomado remédios fortes.

Ainda bem, uma freira entra no meu quarto pergunta se estou bem.

Se posso caminhar. Achei estranho, mas é como se não sentisse minhas pernas.

Mas levantei.

Ao lado dela fui para o patio.

Enlouqueci! Onde é isso? Que lugar é esse?

Uma fazenda enorme, poucas casas, tudo bem mais calmo do que uma vila

do interior. Flores, cheiro de mel no ar.

Logo sentado a fonte, sou avisado.

Aquele meu novo lar.

Aquela minha nova vida.

Cheguei a perguntar que crime cometi, que presidio agrícola devia ser.

Nada disso!

Descobri-me morto, descobri-me vivo, em outro local, em outro plano,

numa dimensão paralela. Ultrapassei a fronteira entre a vida e a morte

Morri, mesmo estando vivo aqui.

Não verdade não morremos, agora sei. Agora vejo.

A simplicidade do ato, nascer, morrer.

Revelação de fatos. E o tempo?

Com esse não me preocupo mais.

Deixe-o  pra volta.

________________________

imagem: luznosmomentos.blogspot.com

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Cordilheira dos Andes – geleiras…

Anderson Tomio

andes

Escorre feito lágrimas,

de um choro silencioso,

que se intensifica com o tempo.

Rios se formam com essas lágrimas,

vidas vão nascendo ao seu caminho,

vidas perecem em desafio,

na frieza, no frio, no congelar.

Lágrimas de um presente incerto,

e de um futuro nem sequer sonhado,

partes que se derretem,

se vão da vida,

gerando vida,

esperando as mudanças,

de forma,de perfil,  de imagens.

Escorrer, passas, vencem as pedras,

buscam o mar, encontram a sede,

se refrescar,banhar-se num rito,

e matar a sede.

Quão grande é senhora das águas,

quão altas podes ser senhora das montanhas,

tua maquiagem derrete,

revela o seu contorno, sua encosta,

pedra, penhascos, grutas,

o que era gelo,

revela- se pedras e choras.

Lágrimas frias, lágrima de gelo,

numa geleira que se despede do topo,

escorre pra base e torna se-rio.

E a neve some, o branco acinzenta

a vida muda, morre, renasce,

sem gelo, sem frio, sem água.

________________________

escrita em 15/11/2010- 00:05 h

*em lembrança ao derretimento das geleiras glaciais,

inclusive o da Cordilheira do Andes que pode estar

totalmente descoberta de gelo em 20 anos.

imagem:hardbiketour.com

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Anderson Tomio



Calmo,
tranquilamente caminhei,
avistei no horizonte a luz, o sol.
Insidia sobre mim sua energia,
forças.
Os passos já não perdiam o compasso,
pulei,
Dei um salto pra a vida, na alvorada,
 no amanhecer dos dias,
a contemplação,
na tranquilidade dos passos,
a luz.
Segui,
calmo, tranqüilo à meu ritmo,
forte em meus passos,
e num piscar de olhos,
a fé.
A certeza se fez presente,
o horizonte então não tinha só o sol,
vi pássaros, árvores e frutos.
O céu azul e infinito era meu abrigo,
nele eu vi, pra ele fui,
tranqüilo.
Na serenidade da experiência,
a fortaleza de partir.
_______________________
escrita em 10/11/2010- 12:25  - 
Imagem: mamaeecia.com.br

DEFICIÊNCIAS

Mario Quintana

 

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Quisera…

Anderson TomioflorchoroQuisera ganhar-te, no desejo de te ver,

vindo, sorrindo e me chamando,

correndo ao meus braços,

num abraço terno, acolhido.

Quisera…

Pensei em tudo imaginando o tempo,

vendo o agora, desde ontem,

querer  ouvir tua voz, rir com teu riso,

olhar-te nos olhos e mais nada falar, sentir.

Quisera…

Fechei meus e te vi a minha frente,

senti teu toque segurando minha mão,

ja tinha pensado, planejado  o especial,

mas interferências bloquearam nosso contato.

Quisera…

Tive tudo, o toque, o riso, o abraço,

mas  sua presença real, nâo tive.

fiquei à tua espera, mas prenderam-te como pássaro,

silenciaram teu canto, privaram-te  de liberdade, sofri.

A água fria caiu sobre mim,

perdi o tempo, sem noção fiquei,

as palavras calaram-se

chorei e morri por segundos,

nada foi feito, nada deu certo, nada.

Sem horizonte, sem lua, sem sol,

somente eu, contemplativo,

analitico, fechado.

Nada mais, já era,

e ainda….tão somente ainda,

quisera…

__________________________________

escrita em 08/11/2010 – 19:35 h

imagem:http://meueternograndao.blogspot.com

sábado, 6 de novembro de 2010

Momento Doce!

Anderson Tomio

prazer

Doces,

tuas palavras doces encontraram meu corpo,

adentraram em cada poro tomando conta do ser,

tremi, arrepiei, nada mais importou,

somente te ouvia.

Doces,

a doçura do teu olhar contemplando-me

olhando-me verter em lágrimas,

olhando-me verter em suor,

calmamente refrescado ao banho,

docemente secado a pele,

ao toque e ao abraço.

Agridoce,

feito meu corpo,

na mistura do suor e tuas palavras,

adocicou-se com seu toque,

com a doçura das palavras,

com a doçura de teu olhar,

extasiado na doçura de teu beijo,

onde sua saliva feito néctar,

se encontrou com a minha.

Doce, momento doce,

onde as horas perderam sentido,

onde o meu e o teu umbigo,

enamoraram-se como nossos  olhos,

casaram-se como nossos lábios

e fundiram-se como nossos corpos.

Trêmulos, febris,

arriados no espaço, perdidos no tempo,

entrelaçados, pernas e braços,

amparados,amados,

na eternidade do terno momento doce.

________________________________

escrita em 06/11/2010 – 19:00 h

imagem original: passarodefogo.loveblog.com.br

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

As redes socias X redes de vida

Por Anderson Tomio

O pouco tempo que faço parte da rede social Twitter, mas me deixou bastante surpreso, pela sua repercussão no meio que os ‘@’ arrobas por lá cadastrados  e para os que ainda não o utilizam causam em nossas vidas.

Sendo uma ferramenta de socialização entre pessoas, com o tempo o cerco vai se fechando. Processo natural, como tudo em nossa vida. Quem disse que os opostos se atraem, no que se refere ao TT, como também é conhecido o Twitter, está enganado. As pessoas vão se indicando, vão se aglomerando entre seguidores (followers) ou em seguidos (following).

Até ai nenhuma novidade pra quem já utiliza essa rede social para fazer novos amigos ou mesmo para divulgar o seu trabalho e ainda produtos. Coisa comum num território “livre” das redes e mesmo da rede mundial de computadores, a nossa famosa INTERNET, carinhosamente chamada por mim e outros milhões de “NET”.Por se tratar como livre, a internet está sujeita a tudo e a todos, como dizem por ai, numa dessas frases prontas. Mas infelizmente, terei de concordar com o conteúdo da frase. Estou presenciando várias coisas por esta rede. Sejam elas boas ou mesmo ruins. Sugiro neste caso, além de um ótimo antivírus, que você instale em você um “peneirometro”, e comece a “peneirar” o que lê, ouve e escreve. Seja isso no que vem e mais ainda ano que vai para a rede. Não ficam de fora as agressões escritas, quase verbais, pela sonoridade que alcançam ao serem lidas. Coisas de todo tipo. Não sendo o estudioso da raça humana, fica uma dúvida muito grande: Porque o ser humano enfatiza tanto o lado negativo das pessoas que os cercam quando deveriam fazer muito mais sobre as coisas positivas?Sinceramente não saberia responder com precisão, mas arrisco um palpite: Seria pelo fato de que na sociedade que vivemos a competição é comum e muitas vezes involuntária no cotidiano?Nessa resposta, pergunta, fica claro o que penso. Acredito ser por isso. Prefiro não ir além, nem mesmo radicalizar. Mas a depreciação do outro, colocando-o em níveis baixos de “status” deve ser arma de defesa para quem não tem como arma a coerência ao uso de idéias para o bem e fatos bons que possam se destacar em meio aos demais. É de entristecer, quem tem ainda amor  no coração, quando se depara com insultos, humilhações de qualquer natureza, seja ela por raça, credo, pensamento, filosofia, idade,  sexo, entre tantos. Isso ocorre porque é raro nos colocarmos no lugar do outro, sempre achamos que o que nos fere é maior do que o ferimento que podemos causar. Não sei o que falta nas pessoas de modo geral. Mas ouso afirmar que a alto estima é pra poucos. Quando estamos bem, nos sentimos assim, nos olhamos no espelho e nos sentimos a pessoa mais bela, não há o porquê cometer tais atos de mal gosto, porque nos sentimos soberanos. Agora quando não estamos bem, acredito que agredir o outro me dará garantia de espaço, porque ele sendo mais fraco, mais feio, mais ignorante, mais ridículo do que eu possa ser, estarei acima. Que grande erro! Nada se sustenta no ar por muito tempo, nem mesmo um balão de gás, que ao chegar ao topo das camadas atmosféricas, inicia sua drástica queda. Porque querer ser mais? Porque querer subir tanto e correr o risco de cair? Com a constância e a plenitude de voo, não será mais fácil permanecer no ar por maior tempo?A meu ver, que resumo da vida. É natural querermos evoluir, querermos aprender, mas porque achar natural o fato de subestimar o outro que também assim como cada um, também anseia “voar”.

Realmente uma pena, fazer uma análise e ter à conclusão de que estamos sempre à beira do abismo, que o próximo passo nem sempre damos por conta própria, podemos ser empurrados. Que sejamos empurrados, mas só aproveitaremos pra plainar e ver tudo e cima, se tivermos colocado nas asas a leveza da vida. Se insistimos em colocar pesos de atitudes erradas, o chão será todo nosso. Perderemos o voo, perderemos a vida! Aqui ainda cabe lembrar os  casos em que é melhor viver a vida do outro, do que viver a sua própria. Puro engano, total descontrole e desespero. É olhar no espelho e não se reconhecer, é por uma música e ouvir outra, é querer doce e ter salgado. Nada é seu, nem mesmo o tempo que fica a cultivar o que é do outro, quando na verdade você poderia estar aprendendo com ele.

APRENDIZADO – Que bela palavra, resumo do que é a vida. Nascemos para este mundo, totalmente virgens, um livro vazio, onde cada um escreverá sua história. Certo? Certo, mas e as redes sociais? Não preciso, me ater somente nelas agora, saímos do micro mundo, ganhamos o macro mundo. Somos seres reais, vivos, pensantes e atuantes em sociedade.Temos passaporte além das fronteiras, sejam elas virtuais ou reais do mundo. E essas fronteiras norteiam nossa vida.Hora somos @ (arroba) horas somos CPF (cadastro de pessoa física), mas o tempo todo somos eu, você, como pessoas reais, como agentes do mundo.Porque não utilizar o que já temos, a vida, as ferramentas em ser @ e CPF e mudarmos algo a partir de nosso quintal, a partir de nossa tela, da nossa vida?

Uma coisa que carrego comigo, a escola da vida ensina tanto. O que vimos pela tela do computador, pela janela de nossa casa, o que ocorre em nossa sala e mesmo aos banais fatos do seu espaço intimo, do escritório pessoal ou no seu quarto, tudo fará de você outro ser. As linhas do seu livro, estão em constante impressão. Cabe somente a você a cor e o teor do que será impresso. Que as mazelas da modernidade, da sociedade, possam ser matérias a serem estudadas, conteúdos aprendidos em sua vida. Tire isso de letra!  Seja feliz!  A felicidade só se faz presente na vida de quem a conhece de perto! Não lide com ela como uma desconhecida, porque nem sempre demos espaço a quem não conhecemos. E ai o ciclo se repete, passamos a competir com a nossa própria felicidade. Nossos atos provarão se lutamos com ela ou se caminhamos de mãos dadas. Tudo bem que dizem que a felicidade é feita de momentos, mas a vida pode ser um momento feliz. Esse momento pode durar alguns poucos minutos de vida corpórea, mas pode durar uma eternidade se assim fizermos a partir de agora. Não fique competindo com a felicidade, nem tente tirar ela de outra pessoa, estenda a mão e caminhe junto. Isso basta para que a felicidade lhe conheça e queira ter você como melhor amigo.

_______________________________

Corpo morada

Anderson Tomio

P38330_5001-300x300

Você já se viu no espelho hoje?

Como é bom se olhar no espelho, sorrir,

ver o corpo, analisar-se.

Perceber o que de bom há nele,

e o que talvez somente por capricho  se quer mudar.

Mas enfim, somos, vivemos, temos um corpo.

As capacidades que ele nos permite ter,

as coisas que ele nos permite realizar.

Vamos além…

Não somos apenas um corpo,

nele habita um ser, uma alma ou espirito,

como queira,

e o corpo acolhe, abriga.

Assim como nossa casa, nossa morada,

precisa de mantenção,

uma lâmpada que queima,

a pintura que desbota,

uma parece que trinca,

a morada do noso espirito,

também necessita se manter.

Já parou pra analisar como está mantendo seu corpo?

Não falo aqui de nenhum modismo ou padrão estético,

mas sim de saúde mesmo.

Isso que importa, ser saudável.

Ter saúde coprporal, ter saúde espiritual, ter saúde mental.

Temos que buscar, temos que querer,

por que sáude é viver.

____________________________

imagem:athas.com.br

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Visita

Anderson Tomio

dore2

Acordar com o silêncio da noite,

não ouvir nada além do silêncio,

contemplar o vazio e nele se perder.

Fechar os olhos e te ver,

começar a ouvir tua voz,

sentir tua presença, acalanto.

Mentalizar pra ti a luz,

enviar-te flores em pensamento,

e me sentir bem.

Passar a ouvir música,

em meio ao vocal te ouvir,

sentir, ter, mentalizar.

Os planos se encostam,

as energias se atraem,

e te sinto em pensamento,

o toque ou teu sopro não é necessário.

Simplesmente se entregar

deixar fluir, viver.

Fechar meus olhos e te ver na luz,

feliz, me dando serenidade

e mergulhando na eternidade.

_____________________________

escrita em 02/11/2010 -

Imagem original:aartedonadadizer.blogspot.com

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Continuidade…

Anderson Tomio

 

doacao-chamada

Continuarei…

Mesmo quando  for chamado

e a hora estiver batendo a minha porta,

respeitarei o que estava pra mim planejado,

partirei.

De mim, irei deixar o que fui,

o que fiz, imagens e palavras.

E partirei.

Estarei abrindo um novo capitulo,

escrevendo uma nova história,

seguindo para a luz.

Buscarei crescimento,

quisera ser levado a uma clinica,

quisera ser levado ao aprendizado.

Mas o que deixarei aqui,

além de poucas recordações?

Deixarei um pouco mais,

deixarei vida, me tornarei vida.

Meu coração baterá em um peito desconhecido,

sentirá amor  e viverá.

Minhas córneas verão à luz,

nos olhos que ofuscavam a claridade.

Outros tantos, rins, fígado, pulmão, pele,

farão parte distante, mas do próximo,

que terá vida, quando a minha

resolver cessar.

Ser vida, ter vida,

doar vida e ser amor.

Continuar viver…

__________________________

escrita em 01/11/2010 – 21:50 h

___________________________

 

TIRE SUAS DÚVIDAS

1. Como posso ser doador?

Hoje, no Brasil para ser doador não é necesário deixar nada por escrito, em enhum documento. Basta comunicar sua família do desejo da doação. A doação de órgãos só acontece após a autorização familiar.

2. Que tipos de doadores existem?

Doador Vivo - qualquer pessoa saudável que concorde com a doação. O doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado, parte da medula óssea e parte do pulmão. Pela lei parentes até 4ºgrau e cônjuges podem ser doadores; não parentes, somente com autorização judicial.
Doador cadáver - São pacientes em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) com morte encefálica, geralmente vítimas de traumatismo craniano ou AVC (derrame cerebral).
A Retirada dos órgãos é realizada em um centro cirúrgico como qualquer outra cirurgia.

3. Quais órgãos e tecidos podem ser obtidos de um doador cadáver?

Coração, pulmão, pâncreas, intestino, rim, córnea, veia, ossos e tendão.

4. Para quem vão os órgãos?

Os órgãos doados vão para pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista única, definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Saúde de cada Estado e controlada pelo Ministério Público.

5. Como posso ter certeza do diagnóstico de morte encefálica?

Não existe dúvida quanto ao diagnóstico.
O diagnóstico da morte encefálica é regulamentado pleo Conselho Federal de Medicina. Dois médicos de diferentes áreas examinam o paciente, sempre com comprovação de um exame complementar.

6. Após a doação o corpo fica deformado?

Não. A retirada dos órgãos é uma cirurgia como outra qualquer outra e o doador poderá ser velado normalmente.

Informações sobre doações de órgãos e tecidos.

______________________________________

Dados e informções – Fonte:http://www.jornaldaorla.com.br/noticias_integra.asp?cd_noticia=4634

"Seja um doador e só assim serei feliz, bem feliz" é o slogan este ano da Campanha Nacional de Incentivo à Doação de Órgãos e Tecidos, lançada pelo Ministério da Saúde com foco nos receptores de órgãos. O objetivo é fomentar na sociedade a discussão sobre a importância da doação de órgãos e estimular as pessoas para que informem aos familiares seu desejo de ser doador.
O ministério anunciou investimentos e medidas para o setor que - acredita - devem resultar no crescimento entre 15% a 20% da quantidade de transplantes realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Entre as medidas anunciadas, criação de 80 novos leitos para transplante de medula óssea, capacitação de profissionais e implementação de centros para transplante de córnea, ossos e pele.
Em 2009, foram feitos 20.253 transplantes de órgãos sólidos, córnea e medula óssea pelo SUS, um aumento de 59,2% em relação a 2003, que registrou 12.722 procedimentos. Segundo o Ministério da Saúde, aproximadamente 60 mil brasileiros aguardam na fila por transplantes. Um único doador pode salvar ou melhorar muitas vidas, já que são vários os órgãos que podem ser transplantados.
Consuelo Bueno Diniz Adán, do Banco de Olhos do Departamento de Oftalmologia da Unifesp, ressalta que os familiares também precisam ter conhecimento do desejo do parente em vida, para que não se perca tempo ou haja desgaste durante o processo de doação. Segundo ela, até mesmo os tecidos descartados para transplantes são utilizados pela instituição para pesquisa e isso contribui muito para novos tratamentos.
Número de transplantes no Brasil - Só no primeiro semestre deste ano, o número de transplantes de órgãos sólidos chegou a 2.367: 99 transplantes de coração; 663 de fígado; 34 de pulmão; 1.486 de rim; 32 de pâncreas; 53 de rim e pâncreas. A quantidade é 16,4% maior que o número de procedimentos realizados no mesmo período do ano passado (2.033 transplantes).
Em São Paulo, um balanço divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde aponta que o número de doações de órgãos cresceu 29,6% neste ano em comparação ao ano passado. Em 2010 já foram realizados 1.696 transplantes de órgãos (com 635 doadores), enquanto em 2009 foram 1.376 (490 doadores).

Tire suas dúvidas

Para ser doador - não é preciso deixar nada por escrito, em nenhum documento. Basta conversar com sua família sobre o desejo de ser doador. Compete à família autorizar a retirada.
Doador vivo - qualquer pessoa saudável que concorde com a doação, desde que não prejudique sua própria saúde e seja compatível com a pessoa que vai receber o órgão. O doador vivo pode doar um dos rins, parte do fígado, parte da medula óssea e parte do pulmão. Pela lei, parentes até quarto grau (pais, filhos, irmãos, avós, netos, tios e primos) além dos cônjuges podem ser doadores. Para os não parentes, somente com autorização judicial.
Doador falecido- são pacientes com morte encefálica, que é a definição legal de morte para a completa e irreversível parada de todas as funções do cérebro. O diagnóstico é regulamentado pelo Conselho Federal de Medicina. Para constatá-la são realizados exames clínicos que confirmem não haver mais reflexos de tronco encefálico. E, antes de ser declarada, todos os procedimentos e tentativas de recuperar o paciente são executados, até que não haja nenhuma chance de recuperação da vida.
O que pode ser doado - coração, pulmões, fígado, pâncreas, intestino e rins. Também tecidos como córnea, veias, ossos e tendões. A retirada dos órgãos é realizada em centro cirúrgico, como qualquer outra cirurgia.
Os beneficiados - pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista única, definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Saúde de cada estado e controlada pelo Sistema Nacional de Transplantes.

Tempo de duração do órgão

Córneas - As córneas podem ser retiradas até seis horas após o óbito ou 24 horas se o corpo estiver em refrigeração.
Coração- A atividade pode ser mantida por mais de 24 horas em um paciente com morte encefálica e até quatro horas fora do corpo.
Fígado- Em condições adequadas, o órgão pode ser mantido fora do organismo por até 20 horas.
Pulmão- Os cuidados com o paciente que entrou em morte encefálica devem ser imediatos, pois o órgão pode se infectar e deteriorar com extrema rapidez. Além disso, é possível manter um pulmão íntegro fora do corpo durante, no máximo, oito horas.

Doação de olhos

A doação pode ser de córneas e do globo ocular (parte branca). Em quem fez cirurgia de miopia, o que vai  determinar se pode ou não pode ser doador é o tipo de cirurgia e a qualidade do tecido.
A idade mínima para doação depende das normas de cada Banco de Olhos, geralmente a partir de 2 anos. A máxima é 80 anos, definida por lei. No caso de olhos, o banco pode fazer a captação em clínicas e também residências, sempre com a ciência da Central Estadual de Transplantes e por meio de funcionários credenciados pelos bancos de captação.
Quando os tecidos são captados, processados, armazenados e transportados nas condições ideais, podem aguardar por um receptor por até 14 dias, ou ser doado para um paciente de outra cidade do estado.
"Todos os dias pessoas ingressam na fila, esperando por um transplante. Temos que considerar o descarte por sorologias ou qualidade do tecido. Se as doações diminuem, o tempo de espera aumenta, o que significa sofrimento para aqueles que estão na fila", informa Consuelo Adán.

Medula óssea

O Brasil é hoje o terceiro maior banco de dados de medula óssea no mundo, com 1,7 milhão de doadores no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME), ficando atrás apenas dos Estados Unidos e Alemanha. Entretanto, a chance de se encontrar um doador compatível fora da família é de uma em 100 mil.
Segundo o Ministério da Saúde, 1.200 pessoas aguardam na fila por um transplante e, de acordo com a Associação da Medula Óssea (AMEO), mais de 60% dos pacientes que necessitam do transplante não possuem familiares compatíveis e buscam um tecido adequado no banco de doadores do INCA.
Muita gente faz confusão entre medula óssea e medula espinhal. A medula óssea é um tecido líquido-gelatinoso que ocupa o interior dos ossos, sendo conhecida popularmente por 'tutano'. Já a medula espinhal é formada de tecido nervoso que ocupa o espaço dentro da coluna vertebral e tem como função transmitir os impulsos nervosos, a partir do cérebro, para todo o corpo.
Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos com boa saúde poderá doar medula óssea. Para o doador, o ato representará apenas um incômodo passageiro. Para o doente, será a diferença entre a vida e a morte.

________________________________________

Pra mim tudo bem! E pro outro?

Anderson Tomio

Hoje estava observando na internet os fatos que marcam o mundo a cada dia.São muitos, coisas já consideradas comuns e outra ainda que acabam por nos deixar surpreso.É , digo nós porque no dia a dia as pessoas comentam geralmente a mesma coisa. Sempre tem um fato que chama atenção, repercute mais, acaba tomando proporções nacionais de críticos e seguidores.
Mas já parou pra pensar nas coisas que acontecem com você?
Nos fatos que acontecem bem próximos de você,ou até mesmo com você?
Sei da importância de se preocupar com o macro universo, com o país, com o mundo. Mas será que pensamos em nós, nas coisas que acontecem com cada um de nós no cotidiano?
É como aquela receita da vovó, que diz que temos que mexer a panela com colher de pau. E o que acontece se há mexermos com uma colher de plástico? dizem que o gosto não fica bom, que perde o ponto, que pode grudar no fundo da panela. Pode ser..., mas acredito que isso ocorra pelo pensar de quem mexe a panela.
Esse é o ponto que quero chegar.
O de repensarmos nossas ações. De perceber o que fizemos durante nossas ações. Sim, isso mesmo. Porque é tão normal tornarmos seres automáticos, que o pensar na ação que estamos fazendo é coisa do passado.
Mas não é. O problema é a correria e as inúmeras tarefas a serem realizadas num único dia. Nada pode ficar pra depois ou muito menos pra amanhã.
Assim a vida segue,o tempo passa e acabamos por não nos dar conta da simplicidade da vida. De contemplar a " mexedura" na panela com a colher, seja ela de pau ou de plástico. Também não seria pra menos se numa hora dessas esquecermos o fogo ligado.
Corremos pra tudo, somos automáticos pra tudo.
Sim...imagino o que deva estar pensando,ou não, mas também não dá pra sair por ai anotando ou analisando tudo a todo momento. Nem eu conseguiria. Mas também não é o que gostaria.
O que acho viável mesmo, é estar atendo a vida. Ao outro ser que está ao seu lado, ao sorriso de um corriqueiro oi, que deixamos passar, logo vira um tchau.
Como corremos! Pensando bem somos maratonistas. Corremos contra o tempo o tempo todo. engraçado,pelas palavras, mas é assim. Nada pode sair diferente, errado então,nem pensar.
E nessa euforia, o dia se foi.O sol se Pôs e você nem viu. A chuva começou a escorrer pela janela e nem sequer você observou a danças dos pingos pelo quintal.
E a essa altura, devem estar me perguntando: "é verdade, mas isso já discurso velho, a vida é assim mesmo".
Poderia concordar com você, mas ainda assim, lhe diria, que a vida é do jeito que queremos que ela seja.
Não estou falando aqui, de ter, de poder, mas de ser, de estar.
Ser simples, estar feliz!
Sim, porque pra mim, a felicidade está na simplicidade. A felicidade é simples!
Opa, será mesmo? Então porque muitos de nós ainda não consideramos que há tenhamos encontrado?
Sinceramente, neste ponto só posso falar por mim. Alias pra resumir, como é bom abrir a janela e dar inicio novamente ao novo espetáculo do dia. Sol ou chuva, frio ou calor, enfim perceber-se como ator, como parte deste espetáculo.
Coadjuvantes? Não mesmo, pode parecer estranho se levarmos ao pé da letra, pelo sentido da palavra, mas sim, somos todos principais.
Eu, você o seu vizinho e o meu também. Cada um de nós é responsável pela parte do outro nesse espetáculo chamado vida. Agora só cabe lembrar que, se não estiver nem eu,nem você preparados para ver cada um a sua volta e dar valor a tudo que ja falei, o simples, o cotidiano que está próximo, de nada vai adiantar saber que o espetáculo de viver é coletivo.
Claro que é. Já pensou que mesmo acreditando estar sozinho você interage com o outro?
Tanto é que estamos cansados de ouvir que dois corpos não ocupam o mesmo lugar no universo.Sendo assim, você tem o seu, eu tenho o meu, nos tornando únicos, mas sendo coletivos. Estranho?
Será mesmo? Olhe bem....você mora só, mas acorda de manhã lava o rosto, vai escovar os dentes e percebe que seu creme dental acabou. E agora? fácil pega-se outro.
Isso mesmo, a palavra outro. Outro creme dental, outra pessoa, partindo disso, precisamos do outro.
Por mais que queremos estar só, até nisso dependemos do outro,para que ele nos deixe sózinhos. Mas nunca ficamos.
Como dizem...."resumo da ópera", é necessário vermos o que nos cerca, fazermos um bom lugar ao nosso redor e ampliar isso. Chegar ao outro, dividirmos com ele, somar-se a ele, sermos coletivo.
Se assim começarmos, fazendo pouco, o meu pouco somado ao seu pouco e ao do outro toma amplitude. Multiplica-se.
Por isso se faz necessário não deixarmos que as coisas do dia a dia passem despercebidas. Não nos indignemos somente com o nacional, com o macro mundo, mas também com o micro mundo que esta bem ao meu, ao teu lado.
Confesso que estou tentando,mas fazendo minha parte, de melhorar o meu mundo e poder apmpliar para o seu, assim quem sabe um dia o nosso será melhor.
Ai não importa mais se fazemos fazemos assim ou de outro modo, porque mesmo mexendo com colher de pau ou de plástico, teremos a certeza de estar fazendo certo.
Comece por você e se achar que está fazendo pouco, o pouco é melhor que não fazer nada.Alias já ia me esquecendo, pra mim tudo bem. E pro outro?

Amanhecer...

Anderson Tomio
Amanhece na cidade, o sol já esta radiante
Bicicletas sobem a rua com trabalhadores
Contando os minutos pra não se atrazar.
Deixam a vida o ar movimentado
Enfeitando a rua num vai e vem
Ficando com ritmo
Ganhando sorrisos
Homens e mulheres trabalham e se vão
Indo e vindo num rapido correr.
_____________________
Imagem:tribunadonorte.com.br